contra ataque CP: "Alfa Pendular dá as boas vindas à Ryanair". Mas tem razões para isso?


Poucos dias depois do grande anúncio da Ryanair ao lançar duas novas ligações doméstica Porto-Lisboa e Faro- Lisboa, a ferroviária estatal portuguesa CP surge confiante, aparente disposta a batalhar e confiante no seu produto.

Num anúncio “Qualidade business, preços Ryanair” publicado hoje em diversos títulos da imprensa escrita, a CP lembra “liga Lisboa e Porto desde 1877" e que "enquanto inventavam novos meios de transporte, nós aperfeiçoávamos o nosso”. Nota, ainda, que os comboios têm “serviço wi-fi, serviço de restauração e muitos espaço para estender as pernas. Sem perder tempo em “check-in”, controlos de segurança ou recolhas de bagagem”.

Tudo com preços a partir de 18,50 Euros (numa alusão à promoção atualmente em curso de 40% de desconto em alguns lugares para compras antecipadas).

O anúncio termina em tom provocador e algo bem disposto: “O Alfa Pendular dá as boas-vindas à Ryanair"

Mas e terá razões para isso?

A CP parece, a avaliar pelo anúncio, preocupada com o seu negócio Lisboa-Porto, tendo percebido que  a estratégia da poderosa Ryanair a atingia muito mais a si do que à TAP.

Mas os dados parecem, no que toca à linha do Norte, contradizer os receios da CP. O sempre informado blog aerOPOrto, um sempre interessante espaço dedicado à análise das operações do aeroporto Francisco Sá Carneiro fez as contas à capacidade instalada neste mercado e concluiu, conforme o seu quadro abaixo, que a oferta introduzida pela Ryanair é extremamente reduzida face à oferta global existente:

Conclusão: a CP tem mais de 22 vezes mais lugares disponíveis no mercado Lisboa-Porto do que a Ryanair, notando-se que grande parte dos passageiros da TAP não são, em sentido estrito, clientes deste mercado mas sim passageiros em trânsito para outros voos à partida sobretudo de Lisboa.

Acresce que a CP tem na linha do Norte um fator de apelo do seu produto: o pendular liga diversas áreas urbanas quer a Lisboa quer ao Porto, tendo paragens, por exemplo,  em Vila Nova de Gaia, Aveiro,  Coimbra e Entroncamento.

Mas e na linha do Sul?

A avaliar pelo anúncio da CP na imprensa de hoje, a ligação Faro-Lisboa parece não preocupar a estatal ferroviária.

Contudo, parece-nos, é justamente nesta linha onde os maiores danos na CP se podem sentir. Desde logo, e num primeiro plano, porque a procura é necessariamente mais pequena do que a sentida a norte face, tão somente, ao fator populacional a sul, fazendo com que a oferta instalada da Ryanair seja, em Faro, relativamente muito mais relevante que no Porto. Recorde-se que a Ryanair se prepara para assegurar voos todos os dias de Faro para Lisboa (no Porto, apenas de 2ª a 6ª feira) e que a capital farense conta apenas com dois pendulares por dia para Lisboa (ainda que exista, também, uma relevante ma s mais lenta oferta em produto "Intercidades").

Num segundo plano, o mercado ferroviário da CP a sul não assume o mesmo caráter distribuidor que a linha do Norte, sendo quase exclusivamente polarizado entre a Área Metropolitana de Lisboa e o Algarve, com maior parte dos passageiros embarcados a sul a fazerem-no em Faro, Loulé e, no verão, Albufeira. Justamente na área de influência direta de proximidade do aeroporto algarvio.

Mais, por razões históricas, todas as estações ferroviárias algarvias (com grande exceção da estação da baixa de Faro) encontram-se bem fora das cidades que servem, sendo necessário transporte público ou privado para as alcançar.

Não negligenciável, também, é o facto de décadas de desinvestimento na ferrovia portuguesa em geral e algarvia em particular terem levado a uma situação em que o tráfego de ligação ferroviária de outras partes do Algarve não seja relevante em face da excessiva morosidade das ligações e, por outro lado, o facto de a via ferroviária Faro-Lisboa, ainda que já largamente modernizada, seja única, levantando problemas de congestionamento que impedem a CP de introduzir mais ligações ou outras em horários mais competitivos, devido a questões de slot. Problema- note-se -ainda mais potenciado pela necessidade de circulação de variados comboios cargueiros  de combustível que abastecem o aeroporto de Faro vindos de refinarias de Sines e Grande Lisboa, atingindo, no verão e em face da extraordinária sazonalidade do aeroporto de Faro, picos de circulação ferroviária que levam a CP a ter de, por exemplo, colocar comboios pendulares Faro-Lisboa a circular apenas com 4 a 5 minutos de diferença de modo a responder ao acréscimo de procura no Verão ao mesmo tempo que aproveita os slot concedido pela REFER.

Mas vamos a exemplos concretos:

CP: último pendular de cada dia de Faro para Lisboa parte às 15.05 e chega a Oriente às 18.04. Preços 22,20 € com possibilidade descontos até 40% em alguns dias da semana

RYANAIR: voo parte diariamente às 14.50 e chega a Lisboa às 15.30 a Lisboa. Tarifas atualmente partir de 19 Euros (mas oscilando permanentemente ao sabor das promoções da Ryanair, esperando-se, por exemplo, que possam descer aos 10 ou até 5 Euros).

O que vai escolher?




Comentários

EMBARQUE POPULAR