Skymark Airlines torna-se na primeira low cost a encomendar o A380


A low cost japonesa Skymark Airlines e a fabricante europeia Airbus anunciaram, passado dia 18 e em Toulouse, França, assinatura de um contrato para o fabrico de quatro aeronaves Airbus A380, atualmente o maior avião de passageiros do mundo. A empresa torna-se, assim, na primeira low cost mundial a apostar em semelhante avião, procurando, assim, investir no transporte em massa para voos de curta e longa distância.

O anúncio assume-se como uma notícia positiva para a fabricante europeia, empenhada que está no restauro da credibilidade comercial do seu gigante recentemente afetado por uma série de notícias menos favoráveis após os incidentes com a frota A380 da australiana Qantas.Por outro lado, o mercado japonês é fortemente dominado pelas vendas da rival e fabricante norte americana Boeing, sendo relativamente raras as aeronaves Airbus registadas em companhias aéreas nipónicas sendo que, deste modo, a venda do a380 para aquele mercado se assume como o possível início de uma nova era europeia da aeronáutica japonesa.

Por seu turno, a Skymark pretende com esta aquisição afirmar a sua capacidade de transporte num mercado altamente concorrencial e dominado pela necessidade de transporte de grandes quantidades de passageiros em rotas relativamente curtas, antecipando-se também a sua estratégia de vir a lançar rotas para a Europa em 2014.

Recorde-se que a empresa de voos a baixo custo Skymark, atualmente detentora de uma frota de 18 Boeing B737/800 e encomendas firmes para outras 7 unidades, foi criada há cerca de 12 anos por uma empresa nipónica de agenciamento de viagens a custos controlados, tendo enfrentado o pesado protecionismo do estado japonês, apostado desde o início na manutenção do status quo comercial das duas principais transportadoras - a JAL Japan Airlines e a ANA All Nippon.

Não obstante, a perseverança da Skymark traduziu-se na afirmação de uma competitividade doméstica que viu já reduzir algumas tarifas médias do mercado japonês em mais de 50%, antecipando-se a possibilidade forte expansão da empresa nos anos vindouros. Com efeito, a estagnação da economia japonesa e a crise em que se encontra traduziram-se, já e por exemplo, na falência da maior companhia japonesa -a (até há pouco tempo estatal )JAL Japan Airlines -que se encontra, desde de Janeiro passado, em proteção judicial contra credores e sob imposição de um plano de solvência financeira e económica que verá a sua frota ser reduzida em 50 aeronaves e abandonadas dezenas de rotas domésticas, assim se criando novas possibilidades de negócio para outras transportadoras como a Skymark.

Comentários

EMBARQUE POPULAR