Ryanair suspende todos os voos domésticos italianos; 10 bases afectadas pela medida


A conhecida low cost irlandesa Ryanair comprou mais outra "guerra", desta feita com as autoridades italianas de aviação civil. Trata-se de uma resposta à decisão administrativa italiana de, nos voos internos italianos - aqueles sob jurisdição daquela Autoridade - impor à Ryanair a aceitação de formas de identificação de passageiros alternativas aos comuns Bilhetes de Identidade e Passaportes. Recorde-se que, recentemente e aquando da implementação do sistema de check in online, a companhia procurou uniformizar as regras de identificação civil dos passageiros admitidos a bordo, reduzindo os documentos admissíveis ao mínimo denominador comum a toda a Europa - os referidos BI e Passaporte. No entanto, estados subsistem na União Europeia onde são admissíveis outras formas de identificação civil através de diversos documentos públicos como sejam títulos de residência ou cartas de condução e até, no caso italiano, licenças de pesca.

A ordem administrativa italiana chegou com a informação que o pessoal tripulante Ryanair que negue o embarque de passageiros munidos apenas, por exemplo, de uma licença de pesca, poderá incorrer em penas de prisão. A empresa, em resposta, disse não tolerar uma situação de "objectiva redução das condições de segurança dos seus voos", preparando-se para suspender todos os seus voos domésticos italianos a partir de sábado dia 23 de Janeiro de 2010.

Comentários

EMBARQUE POPULAR