Sterling fecha portas


A companhia dinamarquesa de capitais islandeses Sterling, com base em Copenhaga, surpreendeu hoje o mercado da aviação global ao anunciar a sua falência e cessação imediata de qualquer actividade comercial. A experiente companhia, tendo adquirido a Maersk, havia sido comprada por uma holding de empresas com base na Reykjavik e, depois de alguns exercícios anuais com prejuízo, a empresa apresentou, no ano passado, um fecho largamente positivo do ponto de vista financeiro, com lucros que permitiram equilibrar a empresa.

Não obstante, o colapso financeiro da Islândia levou à falência da maior parte das empresas de grande dimensão daquele país nórdico, com a concomitante falência de muitas empresas mundiais dela dependente. A Sterling explica isso mesmo, no seu site, ao informar que o seu accionista - uma empresa islandesa- deixou de ter possibilidade de injectar capital na Sterling, dada a falência do país e o desvalorizar da moeda islandesa.

A empresa, que até há bem pouco tempo apresentava lucros e havia iniciado uma política agressiva de expansão, cessa assim, repentinamente, as suas operações recusando, até, qualquer reembolso a clientes que tenham reservado voos mas não os tenham utilizado.

A Sterling assegurava uma rota semanal -Copenhaga, preparava-se para iniciar uma ligação bi-semanal de Lisboa para Copenhaga em 2009 e assegurava, até hoje, diversos voos semanais à partida de para Copenhaga, Estocolmo e Oslo. Neste último caso, a falência da Sterling implica o final das únicas rotas regulares da capital algarvia para a Dinamarca e para a Suécia, o que se traduz num pesado revés no mercado de Turismo nórdico para o Algarve. A Sterling fez chegar este ano a Faro cerca de 50 000 passageiros.

Não obstante, o Aeroporto de Faro anunciou, recentemente, o início em Fevereiro de 2009 de uma nova ligação regular da empresa SAS Scandinavian de Faro para Estocolmo.

Comentários

EMBARQUE POPULAR